Imagem Cafeicultura no Planalto da Conquista é tema de debate na Câmara Municipal

Cafeicultura no Planalto da Conquista é tema de debate na Câmara Municipal

Câmara de Vitória da ConquistaVereadoresSessão EspecialNotíciaHermínio Oliveira

06/08/2021 11:05:00


Na manhã desta sexta-feira, 6, a Câmara Municipal de Vitória da Conquista (CMVC) realizou uma Sessão Especial que debateu a cafeicultura no município. A ação, fruto de iniciativa do mandato do vereador Hermínio Oliveira (PODE), contou com a participação de cafeicultores, autoridades políticas e representantes de diversos seguimentos sociais.

Proponente da Sessão Especial, Hermínio destacou a importância da cafeicultura para o desenvolvimento econômico do município. “Gerou e gera, até hoje, muitos empregos diretos e indiretos. Alavanca o nosso município até hoje. Uma mola propulsora que gera impostos, muito dinheiro”, disse o parlamentar.

Oliveira pontuou ainda que a produção do café precisa receber mais atenção do poder público, de modo a fomentar o crescimento da atividade. “É preciso olhar com bons olhos para a cafeicultura, contribuir com o polo cafeeiro para gerar mais recursos”, avaliou o edil.

Esse momento aqui foi um pedido que eu fiz para que esse momento não passasse em branco - A artista plástica, cafeicultora e empresária Valéria Vidigal iniciou sua fala destacando o prazer de estar presente na sessão especial para falar sobre café, e ressaltou também a presença da prefeita Sheila Lemos (DEM) e seu apoio à cafeicultura. Valéria também agradeceu ao vereador Hermínio Oliveira (PODE) pelo esforço na realização desta sessão. Ela relembrou eventos importantes tendo o café como temática principal e que são realizados na região, como o Encontro Nacional do Café e o Concurso de Cafés da Coopmac. Vidigal também anunciou a doação de livros à Biblioteca Municipal, obras que retratam a história do café no Planalto da Conquista. 

Declamação de poema sobre o café - Quebrando o protocolo da Sessão Especial, o presidente da Câmara de Vereadores, vereador Luís Carlos Dudé (MDB), convidou o secretário municipal de Educação, Edgard Larry, para declamar um poema, de autoria de Larry, sobre o café. O secretário aproveitou para parabenizar à Casa por essa iniciativa e classificou o evento como histórico. Antes de declamar o poema, Larry reforçou a necessidade de politicas públicas para o fortalecimento do polo cafeeiro no Planalto da Conquista.

A Uesb é protagonista no desenvolvimento da cafeicultura no Sudoeste da Bahia - Representando a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, a professora Maria Aparecida falou sobre o protagonismo da universidade no desenvolvimento da cafeicultura baiana, em especial no Sudoeste da Bahia. Ela ressaltou a contribuição científica dada ao polo cafeeiro, por meio do curso de Engenharia Agronômica e especializações de mestrado e doutorado. “O curso de agronomia da Uesb é um dos únicos do país que tem a disciplina de cafeicultura na grade curricular. O nosso trabalho de pesquisa, ensino e extensão tem levantado e gerado subsídios científicos para fomento de tecnologias voltadas para cafeicultura aqui na região Sudoeste”, afirmou a professora.

A professora também agradeceu a todos os cafeicultores, associações, empresas e secretarias de agricultura, ligados diretamente à cafeicultura na região. “A Uesb sozinha não faria nada. Graças às nossas articulações, a universidade possui hoje assento no Conselho Diretor do Consórcio Pesquisa Café, que faz parte da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Café”, finalizou, dando  ênfase aos novos desafios do polo cafeeiro.

Histórias unidas – O presidente da Cooperativa Mista Agropecuária (Coopmac) Gilmar Oliveira, agradeceu ao vereador Hermínio Oliveira pela proposição da sessão. Ele explicou que a história de Conquista e a da cooperativa estão entrelaçadas, sendo essa a cooperativa mais antiga em funcionamento na Bahia. Oliveira frisou que a entidade construiu um guia para a implantação do café no município, atividade que trouxe novas dinâmicas econômicas, desenvolvimento e distribuição de riqueza. O presidente ainda ressaltou que a Coopmac trabalha para o desenvolvimento da atividade com investimentos em infraestrutura.  

Tecnologia como aliada – A gerente regional do Sebrae, Josinete Viana, apontou que a alta qualidade já conquistada pelo café do Planalto da Conquista pode ser potencializada com o uso da tecnologia. “Ainda temos como melhorar, avançar. A tecnologia está aí. Temos provocado um movimento para que tenhamos mais agritechs aqui na região para que possamos ter um produto ainda mais competitivo”, apontou ela.

“O café, sem sombra de dúvidas, é um dos produtos mais importantes dessa região. Não à toa o café é um dos seguimentos nos quais o Sebrae tem como prioridade no estado da Bahia”, disse Josinete. Ela defendeu a potencialização do valor agregado do café da região através do uso da tecnologia de alta precisão no cultivo do café. “Estamos à disposição para apoiar esses agricultores que desejam avançar”, assegurou Viana.

A gente precisa achar um meio de incentivar a nossa sucessão - O engenheiro agrônomo, consultor e cafeicultor Gianno de Oliveira Brito agradeceu aos vereadores Hermínio Oliveira (PODE) e Luis Carlos Dudé (MDB), além da prefeita Sheila Lemos (MDB), pela realização de eventos importantes para o debate e valorização da cafeicultura, principalmente num marco de 50 anos da atividade agronômica na cidade.

Ainda em seu discurso, Gianno fez uma reflexão de como serão os próximos 50 anos da cafeicultura no Planalto da Conquista. “Ela tem sido premiada e é muito importante para o desenvolvimento da nossa região, mas está precisando de ajuda”, disse, e completou: “A nossa cafeicultura está passando por um período climático muito complicado e por causa disso muitos cafeicultores têm desistido de suas atividades ou migraram para outras culturas”.

A cafeicultura trouxe desenvolvimento para Vitória da Conquista - “A história de Vitória da Conquista se divide antes e depois da cafeicultura”. Com essa definição, o secretário municipal de Agricultura, Murilo Mármore, ressaltou a importância do polo cafeeiro no Planalto da Conquista, ressaltando as personalidades conquistenses que marcaram essa história. Nesse sentido, ele enfatizou a importância do Poder Público na elaboração e condução dessas políticas e destacou o Projeto ‘Vamos Produzir”, desenvolvido pelo Governo Municipal. Segundo Mármore, a iniciativa está alicerçada em grandes parceiros como a Uesb, Banco do Nordeste, Banco do Brasil e outros. “Vamos beneficiar inicialmente o micro e pequeno produtor por meio desse projeto. Nosso campo vai produzir! Temos condições climáticas, diversidade de solo e tecnologia para potencializar a nossa agricultura”, afirmou o agricultor.

Campo precisa se apropriar de tecnologias – O jornalista e pesquisador Mário Bittencourt relatou resultados de sua pesquisa sobre perspectivas da agricultura de precisão na cafeicultura baiana. Ele ouviu cooperativas, associações e sindicatos do setor. Bittencourt explicou que esse tipo de agricultura busca sustentabilidade econômica e ambiental por meio do uso eficiente dos recursos naturais e dos insumos. Para ele, um desafio é levar ações de educação ao campo para uso de inovações e tecnologias, já que muitos agricultores ainda não sabem usar utilizar tecnologias.

É preciso divulgar a qualidade do café de Conquista – A empresária conquistense Ana Paula, responsável pelo café reserva do Vale, destacou que a região tem café com qualidade suficiente para competir com qualquer café do Brasil. “É preciso que todos enxerguem a nossa região com esse potencial”, disse ela, cobrando maior divulgação do café de alta qualidade do café do Planalto da Conquista. “Nosso café é apreciado em vários locais do mundo”, destacou Ana Paula.

Não estamos falando de uma cidade. Estamos falando de várias cidades que dependem do café - A prefeita Sheila Lemos (DEM) comemorou os 50 anos do café na região do Planto de Conquista e questionou o que seria de Vitória da Conquista se, na década de 1970, a cidade não tivesse o café para se desenvolver. A prefeita destacou que a implantação da cafeicultura na região só foi possível com o incentivo do Governo Federal, do Banco do Brasil e de pessoas da cidade que entenderam que o café poderia ser a redenção dessa região.

Sheila concordou com o que foi dito por Gianno Brito, quando ele ponderou que embora seja um dia de se comemorar, também é preciso pensar à frente: “o que será do café daqui a 50 anos se a gente não começar a pensar agora?"

Por fim, a gestora afirmou que irá procurar o presidente da Caixa Econômica Federal para que ele traga novas linhas de crédito para o café de Vitória da Conquista. “É um compromisso que tenho com vocês”, finalizou.






  Live Offline
Rádio Web Câmara
Facebook
Calendário

Janeiro 2022
0

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31