Imagem Câmara realiza audiência em homenagem aos 17 anos da Cotefave

Câmara realiza audiência em homenagem aos 17 anos da Cotefave

Câmara de Vitória da ConquistaAudiência PúblicaNotíciaLuciano GomesValdemir DiasViviane SampaioFernando Jacaré

27/08/2019 23:01:00


Aconteceu na noite desta terça, 27, uma audiência pública em homenagem aos 17 anos da Comunidade Terapêutica Fazenda Vida e Esperança (Cotefave). A comunidade é resultado de um sonho nascido após o lançamento da Campanha da Fraternidade do ano de 2001, que teve como objeto o combate às drogas, com o lema “Vidas Sim, Drogas Não”. A Cotefave foi criada em 19 de agosto de 2002, como sociedade civil sem fins lucrativos, buscando a partilha solidária das necessidades, das tarefas e das soluções dos problemas, sem discriminar cor, raça, sexo ou ideologia política. Mantém caráter ecumênico, despertando o sentido religioso para uma vivência da espiritualidade que motiva o encontro com Deus. A iniciativa da realização da audiência pública é dos mandatos dos vereadores Viviane Sampaio (PT) e Valdemir Dias (PT), contou com a presença dos vereadores Fernando Jacaré (PT) e Luciano Gomes (PL).

A vereadora Viviane Sampaio (PT) presidiu a audiência e ressaltou que é uma honra para a Câmara realizar o evento, pois celebra os 17 anos de um projeto que acolhe e cuida de pessoas. Ela destacou que a Cotefave já acolheu 1.478 pessoas.

Agradecimento aos vereadores e aos parceiros da entidade – O fundador e diretor-presidente da instituição, Pe. Edilberto Amorim, afirmou que essa era uma noite de gratidão aos vereadores – em especial a Vivane e Valdemir – e aos parceiros de todos esses anos. O padre afirmou que a Cotefave existe porque existem pessoas acometidas de uma doença e elas precisam de apoio e tratamento para serem reinseridas na sociedade. Pe. Edilberto também ressaltou que a entidade cresceu bastante nos últimos anos e deixou as portas abertas a todos que necessitarem.

A Cotefave resgata vidas – O ex-diretor da Cotefave, Célio Barbosa relembrou que esteve na administração e hoje não está mais por uma questão regimental, mas continua tendo a entidade no coração e sempre está procurando o melhor para ela. Célio afirmou que é uma felicidade muito grande a promoção desta audiência pública e que a Cotefave deve estar sempre em evidência por estar resgatando vidas e mostrando os resultados.

Valorização da vida – Sebastião Coutinho, diretor da Cotefave, agradeceu ao Padre Edilberto pelos ensinamentos e dedicação ao projeto. Para ele, a maior lição aprendida é a valorização da vida, valor que perpassa todo o trabalho da Cotefave. De acordo com o diretor, a comunidade oferece novas possibilidade de se reerguer a partir de uma reeducação. 

É responsabilidade da pessoa não voltar ao vício – O Pe. Joselito Oliveira ressaltou que é um alcóolatra em recuperação e que o vício é uma armadilha em que as pessoas estão dentro dela, mas acham que estão fora. O pároco também afirmou que um ambiente como o da Cotefave é imprescindível para que as pessoas tomem consciência do rumo que suas vidas estão tomando. Por fim, o padre declarou: “Não pude oferecer nada a minha comunidade ao beber. Quando me dei conta de minha doença, quis trilhar um outro caminho. É de responsabilidade minha não voltar a beber”.

Entidade busca sustentabilidade – Para Farley Amorim Novais é uma alegria festejar os 17 anos de Cotefave. Ele destacou que acompanha o padre Edilberto há 10 anos, uma trajetória de aprendizado. “Fica aqui, padre, a minha gratidão ao senhor” pela dedicação ao projeto. Para Farley, a dependência química é uma doença mental que deveria ser levada mais a sério. Ele afirmou que os governos, em todas as esferas, deixam a desejar em ações para a recuperação de dependentes e que essa responsabilidade acaba recaindo sobre as comunidades terapêuticas. Mas o repasse de recursos é pequeno. Por isso, um dos desafios da Cotefave é criar meios de se tornar sustentável.

Em 2019, deram um passo fundamental. A partir de uma parceria com uma empresa capixaba, a entidade plantou 12 mil pés de morangos e espera colher entre 300 e 400 quilos da fruta. A comercialização do morango será uma renda extra. Farley ainda informou que a Cotefave analisa instalar uma queijaria artesanal e deve investir no plantio de pimentas e alface. De acordo ele, são ações que vão ajudar a Cotefave a cumprir a missão de cuidar das pessoas. Ele frisou que os dependentes devem ser tratados com amor e não só com remédios. “Vale a pena investir em pessoas”, concluiu. 

Vitória da Conquista é solidária – O Sr. Ezequiel Sena Gomes ressaltou que o sonho do Pe. Edilberto – fundador da Cotefave – está completando 17 anos e com seu carisma, conseguiu atrair as pessoas para o seu lado. Ezequiel também disse que Vitória da Conquista é uma cidade solidária e que a função da entidade é “visitar o fundo do poço e resgatar o ser humano para devolvê-lo à família e à sociedade”.

Mudança de vida – Iure Oliveira de Jesus, que passou pela entidade, testemunhou sua experiencia. Para ele, o trabalho da Cotefave vai além da abstinência, pois ajuda o acolhido a mudar de vida, com novos hábitos e contexto de vida saudável. Ele destacou o trabalho do padre Edilberto: “é a personificação do altruísmo”. Iure relatou que descobriu a música na entidade, dom que desconhecia porque, até então, não havia tido a oportunidade de ter aulas de música. Ele fez apresentações musicais durante a audiência. 

A Cotefave também auxilia os familiares do interno – O assistente social da Cotefave, Elói Santos Cunha, afirmou que é um prazer fazer parte do espaço que proporcionou o seu crescimento profissional.  O profissional também disse que o local tem um trabalho de cuidar não só do dependente químico, mas de trazer novamente os valores perdidos e a vida social que fora devastada pelas drogas. Além disso, afirmou que a Cotefave engloba não só as pessoas presentes, mas toda a sociedade, já que a família do acolhido também precisa de tratamento.

Cotefave ajudou a mudar de vida – Ernani Marques afirmou que, após passar pela Cotefave, renasceu. Para ele, padre Edilberto é um segundo pai. Foi na instituição que encontrou novas perspectivas de vida e pôde reconstruir a vida. Hoje Ernani é advogado, empresário e construiu uma família. 

Só quem viveu é quem sabe o sofrimento – O ex-interno Fábio Lucas Prates Barbosa iniciou sua fala dizendo que hoje é um dia de agradecimento e que há pouco mais de 9 anos estava com uma vida desregrada, mas por conta dos esforços de sua família e da instituição, decidiu ser tratado e não se arrepende. Também ressaltou que ficou quase 1 ano lá e que não é fácil para ninguém que passa pelo problema, já que não há cura e se apega em Deus para viver com dignidade.

Cotefave faz o que muitos não têm coragem – O Tenente-Coronel Leite representou o Coronel Ivanildo. Ele destacou que conhece o trabalho da Cotefave e a Polícia Militar já levou alunos do Proerd ao espaço, para que eles tivessem uma visão mais real dos impactos do problema das drogas. Leite frisou que a polícia não é só repressiva, é preventiva e está à disposição do projeto para parcerias. Para o tenente, a Cotefave faz o que muitos pensam, mas não têm coragem de fazer.

Vida longa à Cotefave – O vereador Valdemir Dias (PT) – que juntamente com a vereadora Viviane Sampaio (PT) teve a iniciativa de realizar o evento – afirmou que é uma grande alegria comemorar mais um ano da Cotefave e ressaltou que desde 2017 tem feito essa audiência pública em comemoração ao trabalho da instituição. O edil lembrou do surgimento da entidade e falou que há um trabalho sério sendo feito no local. Parabenizou a todos os colaboradores e finalizou: “Vida longa à Cotefave”.

Acolhidos agradecem acolhimento – Charles Oliveira Guimarães, um dos acolhidos na entidade, agradeceu por poder fazer parte da comunidade. Ele relatou que já morou na rua e passou fome, mas encontrou acolhimento e cuidado na Cotefave, onde tem enfrentado a dependência. Para Charle, o padre Edilberto “é especial”.

Já Joadson Menezes afirmou que a Cotefave é como uma escola. Ele, que passou pela instituição, afirmou que chegou à comunidade com baixa formação e lá conheceu vários pensadores e a Bíblia. “E ainda me veio de graça, Jesus Cristo”, disse. Menezes comparou a Cotefave a um útero, que renova as pessoas e produz homens que saem de lá íntegros. Ele afirmou que conseguiu concluir o 2º grau e ainda obteve 38 certificados. 

O interno Marcos Antônio também fez o uso da tribuna e disse que está há 4 meses na entidade e que está aprendendo a ser um novo homem, um bom filho e um bom pai. Agradeceu aos seus familiares e à Cotefave e por fim, afirmou que escolheu viver.

 

 



Rádio Web Câmara
Facebook
Calendário

Setembro 2019
9

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30