Imagem Câmara se reúne com Coelba e cobra mais pontos para pagamento de contas de energia

Câmara se reúne com Coelba e cobra mais pontos para pagamento de contas de energia


A ampliação do Coelba Serviços (postos de atendimento credenciados) é a resposta dada pela Coelba aos impactos do fim da parceria com a Caixa Econômica que vem resultando, em Vitória da Conquista, em filas e dor de cabeça para o consumidor que já não conta com as lotéricas para pagar suas contas de luz. A informação foi dada pela própria empresa numa reunião nesta segunda-feira, 25, com vereadores da Câmara de Vitória da Conquista.

Onze caixas de atendimento da Coelba no Centro da cidade (seis na galeria Joaquim Correia e cinco no Panvicon), retorno do Coelba Serviços nos distritos de José Gonçalves e São Sebastião e abertura de um ponto no bairro Urbis VI. É o que informou o gestor de Unidade de Atendimento da Coelba de Vitória da Conquista, Bruno Borges Epitácio, numa reunião que contou com a participação dos vereadores Sidney Oliveira (PRB), Edjaime Rosa Bibia (PMDB), Nildma Ribeiro (PCdoB), Denis do Gás (PSC) e Fernando Jacaré (PT). Os edis fazem parte de uma comissão da Casa formada especialmente para tratar do tema. 

Os vereadores explicaram em já estiveram na Caixa buscando informações e soluções para o impasse. A ideia do grupo é procurar o Procon e até mesmo o Ministério Público. A vereadora Nildma explicou que obteve informação da Caixa que em outros estados ocorreu negociação. Ela espera o mesmo na Bahia. Já Jacaré frisou que muitas pessoas, especialmente os moradores da periferia, agora precisam pegar ônibus e se deslocar até o Centro para pagar uma conta. Muitas não têm o valor da passagem. 

Bibia foi taxativo: “Para vocês está tudo bem. Mas, para a população está terrível”. Segundo o vereador, nos últimos dois anos a Coelba aumentou em mais de 200% a conta de energia e paga mais de 50% da sua folha de funcionários com o que arrecada com multas e taxas de religação. “Lucro tem que ser dividido com o consumidor”, afirmou Bibia. 

Sidney lembrou que, mesmo com várias opções tecnológicas para pagamento de contas, ainda existe um público que não têm acesso a essas ferramentas e necessita de um ponto físico. Denis do Gás acredita que houve um avanço positivo na situação com a promessa de abertura de novos pontos do Coelba Serviços em bairros do município. Ele ainda aposta numa renegociação com a Caixa e retorno da parceria com as lotéricas.

O gestor da Coelba, Bruno Borges Epitácio, foi categórico ao afirmar que a Coelba não tem mais contrato com a Caixa e nem perspectiva de retorná-lo. O que a empresa trabalha no momento é um plano de expansão dos pontos do Coelba Serviços. 

Entenda o caso – o contrato de prestação de serviços entre Coelba e Caixa acabou no dia 1º de junho. Desde então, foram suspensos os pagamentos de contas de energia em lotéricas e correspondentes do banco. A parceria de anos foi rompida após meses de negociações, iniciadas ainda no final de 2017.  A Caixa propôs um aumento de 54% no serviço oferecido, “fugindo do indexador que estava previsto em contrato”, muito acima da inflação, explicou Epitácio. Segundo o gestor da empresa, a Coelba entendeu que era um aumento abusivo e partiu para a negociação, sem sucesso.  

Além da suspensão do serviço operado em 22 casas lotéricas do município, a interrupção também nos correspondentes da Caixa pegou a Coelba de surpresa. Foi o caso de José Gonçalves e São Sebastião, na zona rural. A situação se agravou com o cancelamento de outros pontos que desistiram do serviço por conta da sobrecarga que sofreram com o fim da parceria. Pontos que antes recebiam contas de energia, como o das Casas Bahia, no Centro, interrompeu o serviço. “Era um cenário que eles [Coelba] não imaginavam”, detalhou Epitácio.

 O Coelba Serviços funciona em comércios e realiza vários serviços, especialmente a coleta de pagamentos da Embasa e Coelba. A parceria é por convênio e obedece a regras. “A Coelba não tem interesse em parar com a lotérica. Isso foi uma condição imposta pela Caixa Econômica Federal. Por uma questão orçamentária a Coelba entendeu que não poderia manter o contrato junto à Caixa Econômica nesses moldes”, respondeu o gestor quando questionado pelo vereador Jacaré sobre a possibilidade de retornar o serviço nas lotéricas. 

O aumento imposto pela Caixa foi em nível nacional. Segundo Epitácio, em outros estados, concessionárias de energia também romperam contratos de prestação de serviço mantidos com a Caixa – Pernambuco, Rio Grande do Norte e, a partir de julho, São Paulo. 




Rádio Câmara
Facebook
Calendário

Julho 2018
7

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31