Imagem Cori se solidariza com situação de Dona Enir e condena parcialidade em críticas políticas

Cori se solidariza com situação de Dona Enir e condena parcialidade em críticas políticas

Câmara de Vitória da ConquistaSessão Ordinária

28/02/2018 10:45:00


Na sessão ordinária dessa quarta, 28, o vereador Professor Cori (PT) se dirigiu a Enir Rocha, proprietária da barraca localizada no Gancho que foi derrubada pela Prefeitura Municipal. “Ela tem todo o apoio dessa Casa. Ela cumpriu com o seu papel. Ela adquiriu o terreno, pagou IPTU, alvará. Essa Casa, como disse aqui na sexta-feira, dará todo o apoio para que a prefeitura reveja essa decisão e busque um caminho melhor”, afirmou. Em sua fala, Cori afirmou que a gestão pública deve primar pelos direitos humanos. Ele destacou que Dona Enir é uma pessoa humilde que “merece ter o seu espaço respeitado”.    

O parlamentar também se dirigiu aos proprietários de carros de som: “Já manifestamos o apoio. Essa Casa tem feito a sua parte. Marcharemos na direção de Vitória da Conquista convergindo a gestão para aglutinar a todos, desde os pequenos profissionais, na formalidade ou informalidade. Conquista precisa de todos”. Ele lembrou que candidatos ao Legislativo e ao Executivo utilizaram o serviço de carro de som.

Professor Cori destacou a presença de Heleusa Câmara, homenageada com uma moção de aplauso na sessão. Ele afirmou que ela é uma profissional referência para todos que atuam na área da educação. “Meu sincero respeito pela sua história em ajudar a educação de Vitória da Conquista”, disse.

Vereador condena críticas parciais – Em resposta ao colega Álvaro Pithon (DEM). “Eu sou filiado ao Partido dos Trabalhadores. Tenho respeito a todos os partidos. Mas, eu não sou ladrão. E desafio qualquer uma aqui a provar uma só conduta de desvio de um centavo em qualquer período que atuei na Secretaria de Educação, como coordenador do PET, como diretor”, falou. Cori destacou que o “Partido dos Trabalhadores deu uma grande contribuição para o Brasil”. Sobre as denúncias da Lava-Jato, o vereador disse que espera que todas as denúncias sejam apuradas e os responsáveis respondam pelos seus atos. “Não dá para aceitar a Lava-Jato onde só apura praticamente o PT, o Partido dos Trabalhadores”, detalhou.

Em sua fala, o vereador questionou: “Eu acho que deveria, inclusive, a Polícia Federal apontar onde é que está o helicóptero de Perrela, direcionado ao senador Aécio Neves do PSDB, com 450 quilos de pasta de coca. Deveriam vir a público dizer”. Ele advertiu que essa qualidade de pasta de coca correspondente a mais de 10 mil quilos de cocaína. “Ele está solto. Cadê a justiça nesse país?”, interrogou.

O vereador defendeu justiça para todos os tipos de crimes, inclusive para quem “apareceu com mais de R$ 53 milhões de dinheiro em malas lá no apartamento em Salvador”. Cori disparou: “Aqui não tem nenhum partido para vir a público querer cobrar de outros partidos valores de moralidade. O campo ético a gente tem que responder é com conduta”.

Ele assegurou que honrará sua caminhada política, respeitando os adversários, sem generalizar. “Eu não posso dizer que no DEM todo mundo foi responsável, na época do PFL, pela quebra do Banco Econômico com a pasta cor de rosa. Eu não posso dizer que na época do PFL, quando assumiram o Ministério das Telecomunicações venderam todo o sistema de comunicação do Brasil colocando na mão de empresários da oligarquia toda a transmissão nacional. Aconteceu com a TV Aratu que perdeu a transmissão da Globo e foi para a TV Bahia. Foi como aquilo ali? Foi em ato lícito?”, questionou.

Cori finalizou pedindo respeito aos mandatos. “Em todos os partidos existem pessoas sérias, honestas e gente que não merece inclusive meu voto e meu apoio”, disse.

Confira o pronunciamento do vereador:






Rádio Web Câmara
Facebook
Calendário

Novembro 2019
11

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30