Imagem 15 anos de Cotefave é tema de audiência na Câmara

15 anos de Cotefave é tema de audiência na Câmara

Câmara de Vitória da ConquistaAudiência Pública

17/08/2017 18:30:00


A Comunidade Terapêutica Vida e Esperança (Cotefave) é uma instituição que nasceu com missão de atuar na recuperação de dependentes de substâncias psicoativas, lícitas e ilícitas. Em 15 anos têm atendido inúmeras pessoas. Para discutir sua trajetória e também homenagear quase duas décadas de dedicação, a Câmara Municipal de Vitória da Conquista realizou uma audiência pública na noite dessa quinta, 17. A solicitação da audiência é de autoria do vereador Valdemir Dias (PT), subscrita pelo vereador Luciano Gomes (PR). Valdemir alertou para o avanço das drogas e pediu uma sensibilidade e engajamento da sociedade na busca por soluções. Ele lembrou que o trabalho da Cotefave é fundamental, mas não é fácil, exige o apoio de todos.

A Cotefave busca a partilha solidária das necessidades, das tarefas e das soluções dos problemas, sem discriminar raça, cor, sexo ou ideologia política, mantendo seu caráter ecumênico e despertando o sentido religioso para uma vivência da espiritualidade. Colaborando assim, para a recuperação e também reorganização da vida social de cada um dos acolhidos.

O tesoureiro, Célio Barbosa, agradeceu a Valdemir pela “belíssima homenagem que você está fazendo para nossa instituição”. Ele afirmou que é uma honra compor o quadro da instituição e destacou as dificuldades enfrentadas para manter o trabalho. Segundo Célio, sem a sensibilidade dos doadores não teriam condições de manter a Cotefave viva. Em sua fala, pediu ao vereador Valdemir a articulação de emendas que possam gerar recursos que ajudem a manter a caminhada da instituição.

Inácio Lopes, diretor da Cotefave, contou que conheceu a instituição em 2012 e começou a se aproximar, passando ser voluntário em 2014. “De lá pra cá comecei a desenvolver com eles o trabalho de danças de roda, dança circular sagrada, e passamos equilibrar as pessoas através do movimento”. Ele contou também sofre as viagens que realizou com os acolhidos, mostrando que é importante aproveitar outros prazeres da vida, como o contato com a natureza. “Os três maiores picos do nordeste, todos foram vencidos pelos residentes, e também pelo Padre Edilberto”, lembrou. Inácio atua como voluntário na realização de palestra e rodas de conversa com os acolhidos. “Sempre com essa temática do meio ambiente, do bem-estar, da qualidade de vida e principalmente da vida. Mostrando que problemas são comuns e tem soluções: amar a si mesmo, e partir daí reconquiste sua vida e familiares”, detalhou.

Já o diretor da Cotefave, Inácio Lopes, brincou que a entidade está debutando. Ele agradeceu à equipe e outras pessoas que se engajaram no projeto. Inácio ressaltou que quem contribui é muito mais beneficiado do que as pessoas em tratamento. Para ele, a pessoa chega “pesada” e sai “leve” ao passar pela Cotefave. O diretor lembrou que atua no projeto desde o lançamento da pedra fundamental e espera poder continuar com seu trabalho.

A vereadora Viviane Sampaio (PT) parabenizou o Padre Edilberto pelo trabalho realizado. “Ele parece que foi enviado para aceitar grandes desafios, aqueles que para aceitar os grandes desafios. No momento em que todo mundo diz que não vai dar certo, ele arregaça as mangas e faz”, destacou. Viviane lembrou do período em que o Padre foi diretor da Fundação de Saúde de Vitória da Conquista, responsável pelo Hospital Municipal Esaú Matos. A respeito da Cotefave, a vereadora destacou também o seu papel na rede municipal de saúde. “Por muitas vezes, ela foi a única porta do SUS, atuando na retaguarda para acolher essas pessoas”, pontuou. Ela ainda parabenizou ao Padre Edilberto e toda a equipe e voluntários da Cotefave, pelo trabalho e acolhimento diferenciado, “baseado no amor, respeito, e acima de tudo o apoio da família e dos colaboradores”.

O Padre Joselito, sem rodeios, frisou sua condição de alcoólatra em recuperação. Ele afirmou que descobriu no tratamento que poderia ser feliz. O pároco explicou que a recuperação acontece em etapas: desintoxicação; conscientização para perceber as situações em que se está envolvido; e mudança de estilo de vida. Padre Joselito ressaltou que é um processo difícil e doloroso. Para ele, a recuperação exige coragem, mas foi nessa situação limite que encontrou mais fortemente a luz de Deus.

Padre Edilberto deixou registrado que a Cotefave desenvolve uma trabalho baseado no amor, fraternidade, ternura e aconselhamento. “O nosso maior patrimônio é a vida. O ser humano precisa de apoio”, frisou. Ele lamentou o aumento do número de usuários de drogas, principalmente por suas consequências na vida das pessoas. “O número vem crescendo de forma que causa medo. A gente trata e uma pessoa, aparece mais 2 mil precisando de acolhimento”, contou. Segundo o Padre, atualmente a Cotefave acolhe 32 pessoas, e já conta com uma lista de 233 pedidos de internação. Edilberto frisou também a necessidade de discutir esse problema com a sociedade. “Isso tem que ser discutido na igreja católica, evangélica, no segmento espírita, no candomblé. Não podemos fechar os olhos para essa realidade”, disse. O Padre finalizou sua fala agradecendo aos voluntários, equipe e colaboradores da Cotefave. “Agradeço a essas pessoas que dão seu tempo para sempre estar presentes e fazer acontecer esses milagres”, completou.

O vereador Fernando Jacaré (PT) afirmou que a Cotefave “precisa de cada um de nós”. Ele ressaltou que as pessoas podem doar tempo e o que for necessário para o andamento dos trabalhos da instituição. Jacaré defendeu gestou concretos de apoio a um projeto que salva vidas, definiu. Em sua fala, lembrou que o Legislativo já fez uma doação de um veículo à Cotefave. Segundo o vereador, um gesto pequeno, mas que faz a diferença.

Iuri Meira faz tratamento da Cotefave e usou a tribuna para dar seu depoimento. Ele contou que chegou na fazenda ainda adolescente, tinha uma vida muito complicada e apesar dos bons ensinamentos da família, acabou enveredando pelo caminho dos álcool e outras drogas. “ Comecei na brincadeira e acabei sofrendo as consequências dessa minha escolha. Caí nesse submundo que me levou ao desespero”, contou. Ele contou que ao aceitar o tratamento Cotefave ele pode voltar a sonhar e acreditar em uma perspectiva de vida. Iure completou o ensino fundamental e médio e hoje já está no ensino superior. “A nossa bandeira na Cotefave é a esperança”, disse. “Estou vivendo um dia de cada vez, mostrando que podemos vencer. Estou vencendo e posso falar: É possível viver sem drogas”, completou.

Clique abaixo e confira as fotos do evento

Audiência 15 anos da COTEFAVE




Rádio Web Câmara
Facebook
Calendário

Novembro 2019
5

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30